quinta-feira, 25 de outubro de 2012

OSHO, O GURU INCORRETO?

Recebi um e-mail fazendo referências a histórias supostamente “nebulosas” ao redor do Osho. E também histórias “nebulosas” envolvendo os sannyasins. E talvez seja também por isso que Osho disse que não existe movimento sannyas. O que existe é uma movimentação de sannyasins ao seu redor, no mundo inteiro. E Osho não responde pelos atos de cada sannyasin.
Cada um de nós responde por nossos próprios atos.

O texto abaixo foi a resposta aos diversos itens apontados no tal e-mail recebido. Eu tenho conhecimento de todas as coisas apontadas no e-mail, e de muitas outras. Mas, quer saber de uma coisa? O que me interessa mesmo, única e exclusivamente, é ter conhecimento cada vez mais de qual é a essência da mensagem do Osho. Essa mensagem tem se revelado para mim, através de minha própria experiência, como absolutamente verdadeira e libertadora. Não é da minha conta se presentearam Osho com quase cem Rolls Royces, se o governo americano para se ver livre dele o acusou de dezenas de infrações às leis daquele país, se durante os festivais o pessoal que podia pagar hotel 5 estrelas se acomodava melhor do que quem morava em tendas. Isso faz muita diferença para quem aqui no nosso meio acompanha a corrupta política nacional, as fofocas das celebridades, as novelas da globo. Aí sabemos quem vai passar o reveillon em Nova York, em que hotel vai se hospedar, quem vai para a ilha de Caras, etc. Com Osho isso nada tem a ver. Eu nunca fiquei em hotel 5 estrelas em Puna. Sempre fiquei dividindo quarto com mais 1 ou 2 pessoas. E isso nunca aumentou nem reduziu a minha sintonia com a energia do mestre, com a sua mensagem.

Eu sempre vi pessoas lindas na comuna do Osho. Mas não era condição para entrar na comuna que fossem gatinhas participantes de concurso Miss Puna, nem de concurso das mais "certinhas". Essa é a visão distorcida de quem vive diante da TV, do programa da Xuxa, do Faustão e do Hulk. Na comuna do Osho as coisas acontecem de maneira diferente. Os parâmetros são outros, o conceito de beleza é outro. Também tem gente com rostinho de boneca, mas não é disso que se trata quando falamos de pessoas lindas.

É claro que Osho era uma pessoa de destaque na mídia e numa sociedade neurótica como a americana, ele corria perigo naquela época em que se jogavam bombas em comunidades religiosas que desafiavam as tradições conservadoras cristãs. E haviam comunidades loucas que pregavam o suicídio. Se as pessoas que cuidavam da segurança do Osho andavam armadas, deve ter sido uma medida de precaução que o momento exigia. E dai? Eu não estava lá, naquele momento e naquela situação, cuidando da segurança dele e por isso não sei quais os desafios que eles tiveram que enfrentar. Osho nunca tomou a iniciativa de dizer o que sua guarda deveria fazer, nunca disse que os hotéis de 5 estrelas deveriam ser assim ou assado. Osho cuidava da mensagem que ele nos compartilhava. Ele tinha urgência de deixar sua mensagem para o novo homem, para um novo mundo. O seu foco era a nossa transformação, era nos estimular, nos desafiar a dar um salto quântico em nossas vidas. É claro que ele sempre disse que gostava do melhor e nos estimulou a também querer o melhor para nós, não nos contentar com as migalhas.

A mensagem do Osho sempre priorizou a expansão da consciência, a meditação, a superação dos nossos limites e bloqueios impostos por uma programação arcaica e castradora, de modo que possamos ser livres, conscientes e inteiros em cada ato, em cada momento de nossa vida. E nisso não há preconceito quanto à alegria, ao conforto, à beleza, ao prazer, ao amor. A nossa totalidade implica numa realização plena em todos os sentidos. Osho nunca pregou a caridade cristã de dar abrigo aos pobres e sem-tetos. Quem cuida disso são as igrejas, é a Madre Tereza de Calcutá. Isso nada tem a ver com o trabalho do Osho. Por isso Osho é totalmente diferente de todos esses iluminados que passaram pelo planeta. Ele é revolucionário nesse sentido. Ele não veio dar consolo ao pobre. Ele veio cutucar as pessoas para assumirem as rédeas de sua vida e superarem suas limitações, para se realizarem e alcançarem os picos da espiritualidade através da meditação. Osho nunca pregou voto de pobreza, nem de castidade. Nunca foi a favor do auto-flagelo para redenção das culpas. Essa coisa de pobreza, humilhação, subserviência, tem origem nessas religiões que nos jogam culpa, pecado original, nos proíbem o prazer e o sexo. Osho nada tem a ver com essa tradição religiosa. Com Osho não há preconceito contra a alegria, o luxo, a riqueza, o conforto, a beleza estética. Se podemos viver bem, porque optar por viver mal? Não há recompensas na outra vida ou num paraíso celestial. O paraíso é aqui mesmo. É aqui que o construímos.

Aqueles que ainda estão tropeçando, sem conseguir resolver suas questões materiais básicas, têm que encarar o desafio de superar esse estágio. Esse é o desafio de cada um deles. Quem está com fome de comida, tem que lutar é para conseguir seu pão; não se pode esperar que ele esteja almejando a sofisticação de um espaço meditativo. Infelizmente isso é real. E Osho cita o próprio Jesus quando este disse para algum de seus discípulos que queria cuidar de um parente doente: Jesus disse: deixe que os mortos cuidem dos mortos. Se você quiser se dedicar a uma obra de caridade e salvar o mundo da fome, faça isso. Isso é com você. Faça aquilo que você acha que é certo. E isso vai ser um grande trabalho, de muito mérito. Você poderá se sentir um benfeitor da humanidade, poderá até receber reconhecimento público. Mas nada disso vai somar no seu processo pessoal, interior de crescimento na meditação. Esse seu processo pessoal, interno é somente seu. É você com você mesmo. Nem mesmo o Osho pode lhe ajudar. É um garimpo que você faz dentro de si, percorrendo os mistérios de seu espaço de silêncio interior. É o seu processo individual de auto-conhecimento. Aqui não estamos lhe dizendo para não olhar para o outro, não olhar para o próximo. Estamos apenas lhe dizendo para olhar para si mesmo. Olhe para quem você quiser, mas não deixe de olhar para si mesmo, vá para dentro e mergulhe nessa aventura do auto-conhecimento. Mas, se você não tem o que comer, o que vestir e onde morar, eu não posso lhe pedir que se aquiete e entre no silêncio do espaço meditativo. A visão do Osho às vezes soa um tanto quanto dura. Mas é assim mesmo.

E ainda lhe digo mais: é preciso ter uma compreensão ampliada para sacar a mensagem do Osho. Osho não é para todo mundo. Por isso Osho é tão mal compreendido. As pessoas olham Osho a partir de seus conceitos e preconceitos cristãos, judaicos, muçulmanos, ou hindus. Osho não é nada disso. Esse Osho que a gente encontra nas citações do Facebook, essas frases bonitinhas do Osho que aparecem nas agendas e nos cartões, não revelam a totalidade da mensagem desafiadora, revolucionária e transformadora do Osho. Muita gente se apega na mensagem do Osho quando ele fala da rosa. Mas a rosa traz consigo o espinho. Geralmente as pessoas gostam de olhar para a rosa e evitam encarar o espinho.

O caminho com Osho é um caminho de auto superação a cada instante, a cada passo que damos na vida. Diante de cada situação da vida, nos confrontamos com nossas sombras, com nossos bloqueios, com nossas limitações, com nossas repressões. Osho não nos pede para segui-lo. Ele nos desafia a seguirmos a nós mesmos. Mas primeiro temos que saber quem somos originalmente, ele não se refere a essa personalidade moldada pela sociedade, pelos pais, pela escola, pelas religiões. Quem somos por trás de tudo isso? E aí sim, ele nos convida a vivermos em sintonia com aquilo que somos originalmente, espontânea e naturalmente. Mas, podemos também optar por fechar os olhos para isso e levarmos uma “vidinha”, curtindo o último capítulo da novela da Globo, postando frases bonitinhas no Facebook, fazendo caras e bocas para impressionar as pessoas, exibindo o carrinho do ano, usando roupinhas de grife, etc etc. Aqui é preciso distinguir. Uma coisa é buscar sua realização plena, corpo/espírito, sem preconceitos quanto ao conforto e ao bem estar material. Outra coisa é achar que o conforto e as benesses da tecnologia significam o máximo na vida.

É muito difícil e árduo encarar o desafio que Osho coloca diante de nós, para assumirmos a nossa própria trajetória de vida. Por isso é muito mais fácil olharmos seus Rolls Royce, o luxo dos hoteis 5 estrelas, a restrição à entrada em sua comuna de soropositivos, esfarrapados e drogados. Assim, podemos vestir a capa de defensores da boa causa e não temos que encarar os desafios que ele coloca diante de nós. Aliás, o próprio Osho disse em algum lugar que se você só tem olhos para ver os seus Rolls Royce, é porque você não está apto a entrar no caminho que ele nos aponta. Então só lhe resta ficar contando os Rolls Royce. Esse é o estágio em que você se encontra. Ele dizia que os Rolls Royces acabaram funcionando como um filtro para o trabalho dele.

Para uma pessoa que fica apontando essas coisas "nebulosas" ao redor do Osho, só podemos dizer: - Tudo bem, fique aí anotando todos esses detalhes no seu caderninho. Passe a vida pesquisando isso, pelo menos você continuará girando ao redor da figura do Osho. Quem sabe, se em algum momento você tropeça numa mensagem dele que lhe dê uma sacudida e você acorda desse sono em que está mergulhado?

11 comentários:

Vicente Galvan disse...

PERFEITO!!!!!

mario disse...

osho foi um ser humano verdadeiro ,sem máscaras .
viveu seu momento, agora é a nossa vez!
osho obrigado por ser uma luz neste mundo.

Anônimo disse...

Maravilhoso...era a resposta que faltava para essas pessoas que não conhecem a mensagem edificante de Osho...Jay Osho!!!!! que o mundo grite cada vez mais esse belo nome...Osho!

Anônimo disse...

As pessoas entendem só o que é capaz de entender. A mensagem de Osho é de coração para coração, é o amor que brota de uma fonte luminosa, naturalmente, que para ser compreendida, precisa de um coração amoroso, só aí a mensagem encontra aconchego. Os comentários maldosos só podem sair de uma mente condicionada, fechada e sem noção do que fala, a não ser pelo prazer de tagarelar. Obrigado. Lohan.

Irmãos de luz disse...

Que a paz e a luz de Deus lhe guarde querido irmão!
: )

aleph3 disse...

***Olá, boa tarde:
eu penso que os textos de Osho são magníficos, principalmente para libertar as pessoas do "mesmismo dominante" que envolve a sociedade. Tbém concordo com suas críticas feitas a Globo. Só assisto o Jornal da Globo, apesar de saber que ele é tendencioso, pois eu "filtro" as noticias produzidas por eles.
Penso que Osho foi um dos maiores cérebros que a Índia produziu, mas tbém penso que nos últimos anos de sua meteórica trajetória de luz, Osho -de alguma forma que desconheço- teve seu brilho eclipsado, qdo passou a atacar o Papa "Polaco" e criar discussões infrutíferas com diversos segmentos da sociedade, o que para mim não pode ser condizente com seu cérebro privilegiado, com sua filosofia incomum e com sua condição de Guru (Mestre) de milhões de seguidores fieis, como o amigo deste blogue.

aleph3 disse...

***Olá, boa tarde:
eu penso que os textos de Osho são magníficos, principalmente para libertar as pessoas do "mesmismo dominante" que envolve a sociedade. Tbém concordo com suas críticas feitas a Globo. Só assisto o Jornal da Globo, apesar de saber que ele é tendencioso, pois eu "filtro" as noticias produzidas por eles.
Penso que Osho foi um dos maiores cérebros que a Índia produziu, mas tbém penso que nos últimos anos de sua meteórica trajetória de luz, Osho -de alguma forma que desconheço- teve seu brilho eclipsado, qdo passou a atacar o Papa "Polaco" e criar discussões infrutíferas com diversos segmentos da sociedade, o que para mim não pode ser condizente com seu cérebro privilegiado, com sua filosofia incomum e com sua condição de Guru (Mestre) de milhões de seguidores fieis, como o amigo deste blogue.

aleph3 disse...

***Olá, di novo:
REF: Coincidências significativas ocorridas neste blogue:
tenho 73 anos; axo que já li quase tudo -em livros- procurando respostas p nossas clássicas perguntas. Recentemente estou tentando alcançar algo que posso chamar de "consciência alterada" buscando a união com o Inefável.
...então seu blogue me conduziu p: www.didgeridoo.com.br e foi lá que encontrei um ensinamento sobre "a Presença" etc... Ocorre que sem ter tido qualquer conhecimento deste ensino eu estava usando o mesmo nome -Presença- e estava fzdo exatamente a mesma prática ensinada neste site.
Há ainda outras "coincidências significativas" que estão correndo nos últimos meses.
Parece que estamos realmente, todos conectados ao Demiurgo Primordial, pois o que vêm ocorrendo comigo ultimamente é no mínimo estranho. Abraço forte desde Lins, SP - Brasil

Blog do Champak disse...

Olá Aleph3, então, aproveitando o seu embalo de "coincidências", dê uma lida no texto que publiquei hoje no site www.oshoinstituto.com.br com o título "Uma Possível Ciência da Religião" que sem usar a expressão "Presença", trata exatamente desse tema. Um abraço

Anônimo disse...

Desculpe se pareço "aquele que fica contando os rolls royce", pois, de fato, há muito me tocou a mensagem do Osho e busco pô-la em prática, mas nunca entendi o porquê da proibição de soropositivos nas comunas, já que a transmissão do vírus podia ser evitada com a utilização de preservativos. E os esfarrapados, não poderiam conhecê-lo e praticar meditação também?

Blog do Champak disse...

Olá amigo, que postou em 08/07/14.
Bem, essa foi uma orientação do Osho para a comuna dele. Não ouvi nem li uma explicação diretamente dele sobre essa proibição. Não posso emitir uma explicação como sendo oficial. Posso apenas dar a minha opinião pessoal. Eu "acho" que a proibição decorreu do risco de contaminação que era então altamente discutível, havendo uma corrente que via contágio através da saliva, outra através do suor, etc. E havendo contatos físicos nos grupos, nas sessões, no dia-a-dia da comuna, eu "acho" que para que não houvesse risco algum de contágio, a opção foi proibir a entrada. E, depois que Osho partiu, muitas de suas orientações continuaram a ser seguidas. Isso é apenas o que eu acho.