segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Para se conhecer Osho


Na minha maneira de ver, existem quatro passos fundamentais para se conhecer a mensagem do Osho.
A gente começa lendo seus livros. Eu li o primeiro livro do Osho em 1982 e não parei mais.
Ele fala de questões delicadas e complexas sobre as quais sempre tivemos dificuldades de compreender quando lemos os textos de mestres do passado. Ele fala de maneira simples, clara e de fácil compreensão. E como todos temos a semente da sabedoria escondida em nós, ao vê-lo falar essa verdade surge logo uma ressonância dentro de nós. Por isso muita gente diz: “eu gosto do Osho porque ele fala exatamente as coisas que eu penso. Temos opiniões muito parecidas.” Não nos damos conta de que não se trata de uma verdade dele ou minha. A verdade é eterna e universal. É disso que ele nos fala. E ele fala de uma maneira tão poética que facilmente ficamos envolvidos.

Depois que ficamos “viciados” em ler Osho, descobrimos que ele não escreveu esses livros. Eles são transcrições de suas palestras. Eu quis então vê-lo falar, tive vontade de conhecer os vídeos com suas palestras. No meu começo, Osho ainda estava no corpo e eu fui até Puna para vê-lo pessoalmente. Não tinha como não ir. Senti o chamado de maneira irresistível. É claro que hoje as coisas são diferentes pois Osho não está no corpo. E além disso, nem todos sentem essa vontade de querer ver seus vídeos e ficam mesmo no nível mais intelectual e filosófico. Mas quando vemos o seu vídeo com o coração aberto, com a mente esvaziada, não há como não ficarmos fascinados com sua presença, seus gestos e seu olhar, que dizem muito mais que as palavras.

O terceiro passo, que é muito importante, costuma vir junto com as leituras ou com os vídeos. É quando descobrimos que o centro de sua mensagem é a meditação. Quando temos a sorte de viver numa cidade em que funciona um Centro de Meditação, então mergulhamos fundo na Dinâmica, na Kundalini, na Nataraj, na Nadabrahma e em várias outras técnicas por ele criadas. Lembro-me de como todas essas técnicas mexiam (e ainda mexem) comigo. Organizávamos grupos para ir a um sítio num final de semana e fazíamos, por nossa conta, maratonas de meditações. Em casa, os amigos se reuniam para meditar com uma freqüência que hoje não vejo ser tão comum.

A verdade, é que quando entramos na prática de meditações é que começamos a verdadeira aventura. Começamos a mergulhar em nosso espaço interior, um espaço até então não explorado. Ele é vazio e silencioso, mas com uma profundidade e uma paz que nos toma e deixa uma irresistível vontade de querer experimentar mais.
No começo é normal fazermos confusão e entendermos errado uma série de sensações e imagens que nos surgem. Mas Osho deixou-nos muitas orientações e esclarecimentos que facilitam o nosso caminho. Sempre gostei de recorrer ao “Meditação: Primeira e Última Liberdade” para ouvir do Osho as explicações sobre o que é de fato meditação e o que é viagem da minha mente.
As técnicas de meditação do Osho são ferramentas muito importantes para nós ocidentais e modernos. As velhas técnicas orientais dificilmente funcionam de fato para homem estressado e apressado de nossos dias. Podem até propiciar um relaxamento e servir de "refresco" no meio da confusão diária. Mas isso é muito pouco diante da grande revolução que a meditação pode propiciar na vida de um meditador.

Na minha experiência pessoal, eu pude perceber com a prolongada prática de meditações do Osho ao longo dos anos, que suas técnicas nos preparam para um dia descobrirmos aquilo que ele mesmo disse: que as técnicas são apenas técnicas e que a meditação é algo que está além das técnicas. E que um dia a gente encontra a chave que nos abre a porta do silêncio e quietude interior, sem qualquer técnica.
Um dia a gente começa a ter vislumbres reais do nosso centro mais interno, onde está a nossa fonte de sabedoria e discernimento e então podemos dizer que estamos dando o quarto passo para realmente conhecer Osho. Eu entendo que é nesse espaço de silêncio e paz, nesse vazio interno, nessa quietude, que realmente nos encontramos com Osho, nos encontramos conosco mesmo, nos encontramos com Deus.
O mergulho nesse espaço, cada vez mais fundo é o processo de autoconhecimento.
A jornada é longa, mas é uma bela jornada. É como perseguir o arco-iris num caminho cheio de aventuras e surpresas. Vale a pena. Na verdade, é a única coisa que vale a pena.

24 comentários:

angela disse...

Que texto lindo, Champa!!!

'Vale a pena. Na verdade, é a única coisa que vale a pena.'

Obrigada por me lembrar.
Um abraço.

Maria Amelia disse...

Champak,
Acho que Osho "martela" o tempo todo em seus escritos/palestras: meditação...meditação...meditação. Não sei como pode-se ficar só na leitura. Para mim as duas coisas aconteceram juntas.Medito em casa desde que descobri o Osho. E adoro os videos dele, porque você consegue captar o clima de alegria e o senso de humor dele.

Felipe disse...

Champak,
Fantástico os quatro passos. Se tivesse quatro pernas daria de um só vez...hehe. Assim como você perdi alguns dados no meu PC, não tudo, mas seus emails e telefone seu de contato, que inclusive não consegui falar com você nele.
Você poderia me enviar novamente seu telefone? Obrigado,
e um belo dia para você.
Felipe
felipe@guimaraesandrade.com.br

angela disse...

Champa,

Abri agora o site do Osho Brasil e AMEI!
A nova foto do Osho, as cores, a diagramação, as celebridades que curtem o Osho. As colunas à esquerda da tela ficaram ótimas de acessar. Ficou mais organizado e facilitou a leitura. Você está inspirado.

Só fiquei 'chateada' de você não colocar a minha foto junto da Gisele Büdchen. Vou lhe enviar uma foto com meus 27 aninhos...heheheh

Falando sério, legal a idéia de colocar pessoas conhecidas do público que curtem o Osho...bem atual e interessante.

Um abraço!

Maria Amelia disse...

Champak,
Graças à dica da Angela fui conferir a nova pagina do Osho Brasil. E não é que lá já tem a programação dos próximos trabalhos! Não esqueça de divulgar também no blog.

Ashara G. Souza disse...

Adorei Champak!
Me fez recordar, em 1983, os meus dois primeiros livros: O Orange e Meu Caminho: O Caminho das Nuvens Brancas.
Depois as primeiras Dinâmicas, o primeiro Campo de Meditação...e um ano depois minha viagem para a comunidade no Oregon... Nossa daí já vão 26 aninhos conectado com a consciência Osho...
E as únicas palavras que me vem são MUITO OBRIGADO! Ao Osho e a todos que me apoiaram nesse caminho.

paritosh disse...

Champak!!Exatamente isso foi assim que descobri osho. Na verdade eu descobri quando fazia uma caminhada,vi um homem lendo um de seus livros,guardei o nome do autor e procurei na biblioteca de minha cidade.Foi fantastico!!!

Paulo Pimentel disse...

é muita doideira champak, a mente á um misterio infinito, damastê Paulo Pimentel

Palavras de Osho disse...

Adorei o texto. Citei-o em meu blog.

Abs,

Murilo H. Abreu.

Blog evidente.info: Edmilson disse...

Eu havia estudado com alguns mestres espirituais. Agora descobri o Osho e estou fascinado. Eu gostaria de tê-lo lido quando tinha 20 anos de idade, porém eu não estava pronto como agora.

Eu já tive um intenso vislumbre da iluminação, o qual durou aproximadamente um mês, quando li pela primeira vez, o livro “O Poder do Agora” de autoria de Eckhart Tolle.

Agora, pretendo conhecer mais o conteúdo do Osho.

Um abraço fraterno!

www.evidente.info

lu disse...

Oi Champack,,que bom te rever por aqui. Vc falou tudo ! Onde podemos praticar as meditações em Brasília ?

lu disse...

Oi Champack,,,que bom te ver por aqui. Lembra? Vc me iniciou nessa jornada maravilhosa de autoconhecimento através das meditações do OSHO !! Nunca mais fui a mesma !!!

Blog do Champak disse...

Oi Lu.
No final de 2006 eu mudei-me para Fortaleza. Agora estou em Juiz de Fora.
Eu perdi os contatos em Brasília, mas soube que havia um pessoal no Clube Amygo que continuava fazendo meditações do Osho.
Havia também um grupo de meditação que se reunia uma vez por semana no parque Olhos Dágua, na Asa Norte.abraços.Champak

Ricardo Serrat disse...

Ola Champak! Prazer em te conhecer, apesar de não estarmos pessoalmente. Te achei pelo google. Estou buscando fazer o seguinte: um encontro de pessoas interessadas em PRATICAR e discutir "O Poder do Agora, de Ekhart Tolle". Como moro também em Juiz de Fora, gostaria de saber se o senhor se interessa ou se tem alguma indicação na cidade, ou próximo daqui, para mim. Ricardo Serrat

Blog do Champak disse...

Caro Ricardo,
Eu li "O Poder do Agora" há uns 7 anos. Percebi que a essência da mensagem dele é muito próxima da essência da mensagem do Osho, como de vários outros mestres. O que muda de um mestre para outro são suas estratégias para nos sacudir, para nos provocar, para nos fazer abrir os olhos.
As mensagens não são conflitantes, mas as estratégias podem não ser convergentes. E eu aprendi com Osho que não é bom misturar os caminhos, pois a gente pode se confundir e não chegar a lugar algum.
Nada contra os ensinamentos de Eckart Tolle, mas Osho tocou-me de tal forma e com tanta intensidade que eu ainda estou (e já faz 25 anos) digerindo sua mensagem e seus toques.
Boa sorte em sua proposta. Champak

lu disse...

Querido CHampack,li o Poder do Agora e confesso que não percebi estratégia diferente dos ensinamentos de OSHO. Vc poderia detalhar essa sua percepção e exemplicá-la ? gratidão! gratidão!

Blog do Champak disse...

Oi Lu,
Eu não consigo responder a sua pergunta neste pequeno espaço de comentários. Vou preparar um novo texto e publicar com o título "Para se conhecer Osho - II".
Essa é uma pergunta difícil de ser respondida. Espero ser capaz de traduzir em palavras as minhas percepções e os meus sentimentos a respeito do que você pergunta. Vou tentar sincera e humildemente.
Abraços. Champak

Vinícius disse...

Caro Ricardo Serrat,

gostaria de saber se você conseguiu reunir esse grupo para discutir e praticar "O Poder do Agora, de Ekhart Tolle", pois também sou de juiz de fora e tenho muito interesse nisso.
Abraços.
Vinícius.

Vinícius disse...

Champak,

Gostaria de saber se você também frequenta grupos ou sabe de algum em juiz de fora q discuta Osho, pois tenho interesse nesse tipo de estudo de busca interior.
Abraços
Vinícius.

Blog do Champak disse...

Vinicius,
A mensagem do Osho não é uma filosofia, nem uma abordagem intelectual sobre a vida. A mensagem do Osho é fundamentalmente existencial. Por isso, o desafio que ele sempre nos lançou não foi para estudarmos ensinamentos, mas sim para experimentarmos suas técnicas de meditação. A meditação é a única possibilidade de real transformação no ser humano. Tudo o mais é paliativo.
Por isso, Osho não estimulou a formação de grupos de estudos de seus ensinamentos. Sob certo sentido, o que ele nos deixou nem pode ser chamado de ensinamentos. Ele nos deu toques para que cada um descobrisse por si mesmo a clareza e o discernimento para dar seus próprios passos na vida.
Ao invés de grupos de estudo, Osho criou ao redor do mundo Centros de Meditação, espaços onde suas técnicas de meditação fossem oferecidas com regularidade, onde algumas pessoas com um pouco mais de experiência pudessem compartilhar com os mais novos, um pouco de suas experiências com a prática de meditação.
Em Juiz de Fora não tem um Centro de Meditação, mas tem um espaço (Shunyata) em São Pedro, coordenado por uma discípula do Osho (Nadma), onde algumas de suas meditações são oferecidas com regularidade. O contato dela é nadmas@hotmail.com
Abraços, Champak

Vinícius disse...

Champak,

para começar agradeço a resposta e gostaria de dizer que eu nao conheço os ensinamentos de Osho, mas ja li muito os livros de Eckhart Tolle e por algumas postagens suas que vi, sei que se assemelham os ensinamentos, e que o que é passado ali(E.T.) não é mais um tipo de filosofia de vida para se acreditar, como ele mesmo diz: um conceito mental para se identificar, e sim ensinamentos que te levam a vivenciar um novo mundo. Procuro no meu dia dia praticar a auto observação e sentir meu corpo interior o tempo todo, porém sei das dificuldades que é viver presente e não se entregar aos "delirios" da mente, desse modo, imagino que a meditação possa me ajudar a aprofundar nessa busca interior, e com um grupo de pessoas contando suas experiencias e se ajudando, mais ainda, por isso resolvi procurar saber.
Agradeço desde já a atenção.
abraços.
Vinícius.

Luana Lima disse...

Mesmo depois de anos deste post ter sido escrito, me sinto quase na obrigação de deixar um comentário para parabenizar o autor. Texto inspirador e apaixonado como este não se encontra facilmente. Muito obrigada pelas dicas e pelas descrições que são muito úteis para quem está apenas começando a conhecer as maravilhas de Osho e da meditação.

Andreia Carneiro [Premal] disse...

Oi Champak, por onde andas?
Aqui é a Premal que morou em Brasília.
Moro atualmente no Rio.
Tempo bom aquele no Lago Sul.
Espero que chegue por aqui.
andreiacarneirocantora@gmail.com
andreiacarneiro.com.br
Forte abraço.
Premal

Blog do Champak disse...

Oi Premal (Andreia Carneiro),
Eu estou aqui nas montanhas de Minas, não muito longe do Rio.
Realmente aqueles anos no Osho Khalid, no Lago Sul, foram especiais.
Grande abraço. Champak