quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Meditação


Nos nossos dicionários, a palavra meditação aparece como sinônimo de concentração, reflexão e oração mental. Na tradição oriental, a palavra meditação tem outro significado e é a ferramenta mais fundamental no processo de auto-conhecimento até o supremo salto transformador da vida humana.

Mas é muito difícil falar o que é meditação. É uma viagem muito pessoal. É simplesmente vivencial. É percepção, não é reflexão, nem raciocínio, conclusão, análise ou interpretação. Por isso é difícil expressar em palavras o que é meditação. É algo que está além da mente. A meditação está no terreno do vazio, do silêncio, do sagrado. Ela não faz parte do mundo das palavras.

Como a nossa mente é muito tagarela, é fácil encontrarmos pessoas que falam sobre meditação, que dão sugestões de como fazê-la, que falam de suas maravilhas ou do que quer que seja. A mente sempre fala muito. Por isso é preciso muito critério ao se buscar literatura a respeito de meditação.

Os grandes e verdadeiros mestres falam sobre meditação há milênios. Eles falam a partir de suas próprias experiências como iluminados. Mas, como eles falaram em épocas distintas para povos distintos, com necessidades e compreensões distintas, às vezes fica complicado e até contraditório o entendimento de suas orientações.

Osho é um mestre contemporâneo, que fala para as pessoas desta época e que desenvolveu técnicas apropriadas para o homem ocidental moderno. Pela minha própria experiência, posso dizer que escolhendo uma só orientação, já é muito difícil a prática regular de meditação. Nesse campo, a mistura de orientações diversas pode não nos levar a lugar algum.

Para qualquer pessoa interessada em saber vivencialmente o que é meditação, e mesmo para aquelas que querem aprofundar a sua experiência meditativa, sugerimos um excelente manual que se encontra nas principais livrarias. É o livro "Meditação: Primeira e Última Liberdade", de autoria do Osho, publicado no Brasil pela Sextante Editora. A primeira parte do livro esclarece tudo o que é e o que não é meditação, o que são técnicas, e muitas dicas importantes. A segunda parte descreve dezenas de técnicas que podem ser praticadas por qualquer um em seu próprio espaço.

É um experimento. Não é algo muito sério. Aliás, a seriedade é um obstáculo à meditação. É um relaxamento. É um mergulho num espaço intangível, uma viagem a um mundo desconhecido que acaba sendo revelador de outras dimensões da vida, de novas percepções, de novos sabores.

2 comentários:

Dagmar disse...

a matéria dá certamente " água na boca..." DW

Ekatala Keller disse...

Oi Champak!
Que bom te encontrar novamente...
adorei o seu diario em coraçâo e oração... dá para sentir Osho na pele!
Um grande abraço.
Namastê!
Ekatala
ekatala_deva@yahoo.com.br